Você Está
Início > Notícias > Destaque > Alto índice de violência doméstica no mês de fevereiro

Alto índice de violência doméstica no mês de fevereiro

O mês de fevereiro ficou marcado pelo grande número de ocorrências envolvendo violência doméstica. Foram 40 registros entre agressões, ameaças, descumprimentos de medidas protetivas, e outros. Na reportagem publicada pela Gazeta no dia 22 de fevereiro, eram 26 ocorrências, e posteriormente mais três casos; mas até o encerramento do mês, outros 11 foram registrados.  Em uma das situações, a vítima solicitou que as informações não fossem divulgadas.

O mais recente caso foi registrado na noite de terça-feira (27), às 20h15. Conforme a vítima, de 39 anos, seu ex-marido, de 66 anos, forçou a entrada em sua residência e desferiu um tapa nas costas da vítima, que se defendeu. Ele se retirou do imóvel fazendo ameaças.  Acompanhada de advogados, ela foi até a Delegacia de Polícia, onde em frente ao local, foi mais uma vez ameaçada pelo agressor antes do registro. Ela solicitou medidas protetivas.

No domingo (25), duas pessoas ficaram feridas, além do agressor, em um caso de briga. Conforme o registro, a Brigada Militar foi acionada na Praia das Areias Brancas, onde aconteciam as agressões, envolvendo um homem de 43 anos, que não teria aceitado a separação de sua ex-mulher, e iniciou uma briga com o filho dela. Ele ainda agrediu a nora da ex-mulher, de 25 anos, utilizando um bastão. O autor das agressões também ficou ferido e todos foram atendidos no Hospital de Caridade Nossa senhora Auxiliadora.  Na Delegacia de Polícia, os três informaram que haviam ingerido bebidas alcoólicas antes da discussão.  Todos receberam formulário de auto exame de corpo de delito (AECD).

No dia seguinte, 26 de fevereiro, a mesma mulher da ocorrência anterior, de 47 anos, registrou ocorrência, desta vez por injúria, alegando que os fatos se repetem desde o dia 20 de fevereiro. Ela solicitou as medidas protetivas na lei Maria da Penha.

No sábado (24), a Brigada Militar foi acionada para prestar socorro a uma senhora de 54 anos. De acordo com o registro, o filho dela, de 35 anos, estaria transtornado, se auto lesionando. A vítima não desejou processar o filho, nem solicitar medidas protetivas. Ele foi encaminhado para o HCNSA para atendimento e posteriormente, à Delegacia de Polícia onde, devido a seu estado psicológico, não foi possível prestar depoimento. O caso foi registrado como perturbação da tranquilidade.

Outras duas ocorrências foram registradas no mesmo sábado. Um homem de 26 anos tentou agredir com o uso de uma faca, a vítima de 33 anos, com quem teria tido um relacionamento Ela solicitou medidas protetivas. No mesmo dia, uma senhora de 55 anos informou que um vizinho dela passou a ameaçá-la por motivo ignorado.

Já na sexta-feira (23), ocorreu um caso de reincidência de violência doméstica. A vítima, de 29 anos, junto de suas filhas, foi abordada pelo ex-marido, homem de 34 anos, que a ofendeu e a segurou pelo braço. Ela conseguiu fugir do local. Contra o acusado de tentativa de agressão, que já esteve preso, já existem medidas protetivas e outros casos de violência doméstica registrados.

Ainda no dia 23, foi feito registro por parte de duas irmãs, de 30 e 32 anos, que estariam sendo ameaçadas de agressão pelo irmão mais velho de ambas, um homem de 36 anos. Já na quinta-feira (22), uma mulher de 37 anos, foi ameaçada pelo ex-companheiro de 40, que não aceita a separação. Ela informou na Polícia Civil ter apanhado dele em outras oportunidades. Todas fizeram o pedido de medidas protetivas.

Deixe uma resposta

Top