Você Está
Início > Notícias > Cidade > Alunos do Ruy Ramos confeccionam brinquedos em Projeto Educação Solidária

Alunos do Ruy Ramos confeccionam brinquedos em Projeto Educação Solidária

O Instituto Estadual de Educação Deputado Ruy Ramos desenvolveu durante todo o ano o programa Mais Educação, onde foi desenvolvido o projeto “Educação Solidária”. Com um mês de duração, a iniciativa visa sensibilizar os alunos a se importarem com o próximo. Dentro disso, são confeccionados brinquedos com materiais recicláveis, que foram doados nesta semana, na quinta e sexta-feira (22), para crianças da Creche Doce Infância e para a Casa de Passagem, em Rosário do Sul.

O programa tem a direção de Fernando Eli Pereira, das vices Sandra Miranda e Aline Alves, além da professora Eliane Prates, de Santana do Livramento, como articuladora. Com experiência de 12 anos no magistério estadual, ela contou como iniciou o projeto. “Surgiu a ideia, através de uma necessidade dos alunos, de criarem ações solidárias, ajudar o próximo. Foi a proposta para as mediadoras, que abraçaram a causa. São alunos que tem necessidade de reforço e precisam mesmo desse programa”, conta.

No Mais Educação, ao todo participaram 200 alunos. Outros cinco professores trabalham nas atividades como mediadores, divididos nas matérias de matemática, esporte, língua portuguesa, artes e leitura. São beneficiados alunos do 1º ao 9º ano, com reforço no turno inverso das aulas.

Em Rosário do Sul, o programa iniciou em maio. Dentre as atividades estão a oficina de português, onde desenvolvem leitura, escrita e interpretação de texto, e a oficina de leitura, que envolve teatro, música e histórias. Nos esportes são realizados jogos, brincadeiras e circuitos. Já na oficina de matemática, os alunos recebem reforço de cálculos, xadrez, dominó, noções de moeda. Na oficina de arte, por sua vez, são desenvolvidos mosaicos, pinturas, recortes e artesanato, além de colagem.

Projeto Educação Solidária

Na confecção dos brinquedos dentro do projeto Educação Solidária, os objetivos versam em torno das matérias estudadas. Na matemática, os alunos devem identificar a economia feita com o reaproveitamento de sucatas; no português, promover o espírito natalino através de leitura e peças teatrais; nas artes, vivenciar situações que possibilitem a ampliação da criatividade, da imaginação e do senso estético; e no esporte, desenvolver a motricidade fina, além de muitas outras atividades.

O material usado foram garrafas, tampas, palitos de picolé e churrasco, canudinhos, barbante, bolinhas de isopor, latas, caixas de sapatos, entre outros. Já as ideias para a criação dos objetos basearam-se em antigas brincadeiras, como o vai-e-vem, o bilboquê e o jogo da velha. Casas de boneca e enfeites de Natal também foram confeccionados.

Mediadoras apontam progresso dos alunos

Alunos compuseram rap da educação. Foto: IEE Dep. Ruy Ramos / Divulgação

A professora de língua portuguesa, Karoline Fernandes, destacou a socialização despertada entre os alunos participantes e se diz gratificada com o trabalho. “Interligado com as disciplinas, trabalhamos a socialização, do conviver com o próximo, conseguir observar que cada um tem as suas necessidades e dificuldades, e que juntos nós podemos partilhar, mesmo que seja pouco”, observou. “Recebemos vários elogios das professoras das disciplinas, que eles têm evoluído em sala de aula, têm conseguido compreender e conviver bem com os colegas”, concluiu.

Já a professora de matemática Darcielli Centa destacou o privilégio em trabalhar com os alunos. “Cada um tem sua dificuldade, mas a maneira que estamos trabalhando tem sido proveitosa, e a convivência deles está melhor a cada dia. Queremos que eles trabalhem juntos”, relata ela. “Estamos satisfeitos com o trabalho, que não é só nosso, mas sim deles [alunos]”, pontuou.

A colega Tayane Carvalho de Oliveira, que trabalha a leitura com os alunos, também enxerga a melhora dos jovens. “Eu trabalho com jogos lúdicos, procuro que eles trabalhem sempre em duplas, para conviverem uns com os outros. No começo, não queriam, mas agora já estão se adaptando”. A aluna Julia de Souza Fagundes, 10 anos, que está no 5º ano do ensino fundamental, confirma: “É legal, aprender a ler mais, fazer contas direito, desenho, e os trabalhos de Natal”.

Reportagem: Julio Lemos / Gazeta de Rosário
Fotos: Julio Lemos / Gazeta de Rosário e IEE Dep. Ruy Ramos / Divulgação

Deixe uma resposta

Top