Você Está
Início > Notícias > Legislativo terá sete novos vereadores

Legislativo terá sete novos vereadores

Seis dos 13 que ocupam o cargo atualmente foram reeleitos

Dos 13 vereadores mais votados, seis que concorreram à reeleição permanecerão no Legislativo por mais quatro anos: Adriano Dornelles (DEM), Júnior Guma (PTB), Catarina Vasconcelos “Cata” (PPS), Leonardo Vargas “Nico” (PTB), Rogério Azevedo (PTB) e Álvaro Gonçalves (PRB). Conforme a apuração dos votos feita pela Justiça Eleitoral, eles ficaram em 2º, 7º, 8º, 9º, 10º e 12º lugar, respectivamente.


O candidato a vereador mais votado foi Elisandro Paz Piruca (PP), com 990 votos. Os outros mais votados, com exceção dos já citados, são: Glei Pacheco (PDT), Cristiano Rodrigues (PP), Jalusa Sampaio (PP), Afranio Vasconcellos (PP), Gilson Alves “O Padeiro” (PDT) e Marcio Valles (PTB).
No entanto, Valles, que fez 596 votos, deu lugar à Maria Eugênia Dutra (PDT), que fez 497 votos, mas garantiu sua cadeira na Câmara de Vereadores devido ao cálculo da proporcional, que é realizado a partir da soma de votos de cada coligação.
Saiba mais sobre os novos nomes do Legislativo e aqueles que permanecem.

Fonte: TSE
Fonte: TSE

O mais votado

Elisandro Paz Piruca (PP) – 37 anos, bancário – 990 votos. Foto: TSE
Elisandro Paz Piruca (PP) – 37 anos, bancário – 990 votos. Foto: TSE

Atuação política – Candidato a vereador pela segunda vez. Em 2008 conquistou 546 votos. Na ocasião, concorrendo pelo PTB e garantiu a primeira suplência. Com a participação em entidades sociais e filantrópicas manteve ações sociais e politicas. “A intenção de concorrer sempre existiu e a cada dia que passa ela vinha ganhando força, principalmente pela aclamação da comunidade, amigos e colegas que entendem que sou uma pessoa preparada e qualificada, que tenho condições de contribuir e atender as necessidades da comunidade”, afirmou.
Piruca agradeceu a Deus, a família, aos amigos, em especial a Fabiano Sassá, equipe de trabalho, comunidade em geral. “As pessoas que aceitaram nossas propostas, abriram as portas com muita receptividade e carinho. Agora, nossos objetivos serão trabalhar em prol das necessidades da comunidade, através de uma política com ética, respeito e transparência, sempre voltada ao bem comum”, disse.

 

Os novos nomes do Legislativo em 2017

Glei Pacheco (PDT) – 21 anos, músico, radialista, terapeuta e palestrante – 823 votos. Foto: TSE
Glei Pacheco (PDT) – 21 anos, músico, radialista, terapeuta e palestrante – 823 votos. Foto: TSE

Filiou-se ao PDT aos 18 anos. Já atuou como músico e marketing do partido. “Me convidaram a concorrer e agora que estou com minha vida estabilizada, resolvi aceitar, pois acredito que estou com maturidade suficiente para um cargo importante”, avaliou.
Pacheco salienta que será um “vereapeuta, interessado no atendimento fraterno, redobro minhas responsabilidades e o atendimento social que faço a mais de 15 anos. Preciso de ideias e críticas construtivas, pois ninguém faz nada sozinho. O caminho dos fortes é feito de músculos alheios”.

Jalusa Sampaio (PP) – 33 anos, professora – 763 votos. Foto: TSE
Jalusa Sampaio (PP) – 33 anos, professora – 763 votos. Foto: TSE

Primeira vez que assume um cargo político. “Agradeço a comunidade pela oportunidade de representar os rosarienses e serei uma vereadora imbatível na fiscalização do programa de governo que foi proposto. Vou fazer oposição pra realmente cobrar o que foi prometido, mas entendo a vontade do povo que é soberana. É uma democracia e estamos aqui pra ajudar e representar a comunidade”.

Afrânio Vasconcellos (PP) – 32 anos, vendedor ambulante – 745 votos. Foto: TSE
Afrânio Vasconcellos (PP) – 32 anos, vendedor ambulante – 745 votos. Foto: TSE

Em 2012 concorreu a vereador pela primeira vez pelo DEM. “Agradeço muito meus familiares, amigos e meus clientes. Não paguei cabo eleitoral, por isso agradeço a todos que me ajudaram. Além de atuar na educação, segurança e saúde pretendo trabalhar para trazer uma universidade federal à Rosário e lutar pela vinda de empresas que proporcionem emprego e renda para a comunidade”.

Gilson Alves “O Padeiro” (PDT) – 43 anos, aposentado - 629 votos. Foto: TSE
Gilson Alves “O Padeiro” (PDT) – 43 anos, aposentado – 629 votos. Foto: TSE

Foi eleito vereador em 2000 e em 2005 quando foi presidente do Poder Legislativo, mas acabou perdendo o mandato. “Essa eleição foi muito aguerrida. Mas realizamos um trabalho social há muitos anos direcionado as classes menos favorecidas com o apoio da minha irmã, advogada Tania Alves, que não teria sido eleito sem a ajuda dela e do trabalho jurídico que ela exerce”.

Maria Eugênia (PDT) – 62 anos, professora aposentada e cabeleireira – 497 votos. Foto: TSE
Maria Eugênia (PDT) – 62 anos, professora aposentada e cabeleireira – 497 votos. Foto: TSE

Foi vereadora por dois mandatos e presidente do Legislativo em 2004. “Agradeço a comunidade que mais uma vez me proporcionou esse mandato. Esse ano foi muito difícil porque eram muitos candidatos. Tivemos uma eleição muito batalhada, voto a voto. Desejo a todos muita luz, saúde, paz e união, é o que precisamos.

 

Vereadores foram reeleitos

Adriano Dornelles (DEM) – 49 anos, médico veterinário – 849 votos. Foto: TSE
Adriano Dornelles (DEM) – 49 anos, médico veterinário – 849 votos. Foto: TSE

Assessor do deputado Onyx Lorenzoni, trabalhou com Pedro Westphalen e é um dos vice-presidentes da União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs). Foi presidente da Câmara em 2013. “Atribuo minha reeleição ao trabalho técnico e a busca de recursos, estaduais e federais, para diversas obras, saúde e investimento em associações de produtores rurais além da conquista de automóveis para o município”, observou.

Luiz da Silva Guma Junior (PTB) – 53 anos, pecuarista – 742 votos. Foto: TSE
Luiz da Silva Guma Junior (PTB) – 53 anos, pecuarista – 742 votos. Foto: TSE

Filiou-se ao PTB em 2000. Atuou na Secretaria de Assistência Social, durante o governo de Ney Padilha. Foi eleito vereador, pela primeira vez, em 2004. Em 2008 concorreu a reeleição, não sendo eleito. Em 2012 conquistou a reeleição. Fará seu terceiro mandato.
“Agradeço primeiro a minha equipe que fez um trabalho exemplar, em especial a minha família e a comunidade de Rosário do Sul. Agradecer a todas as pessoas, quem votou e quem não votou em mim. Coloco-me a disposição da comunidade novamente para seguir o trabalho nas áreas de saúde, educação e esporte e dar suporte, junto com a Administração, ao interior do município”, destacou.

Catarina Vasconcelos (PPS) – 42 anos, representante comercial – 684 votos. Foto: TSE
Catarina Vasconcelos (PPS) – 42 anos, representante comercial – 684 votos. Foto: TSE

Vereadora eleita pela primeira vez em 2008 está em seu segundo mandato. Foi presidente da Câmara em 2012 e 2015. “Atribuo minha reeleição ao trabalho que venho realizando, principalmente nesses últimos quatro anos que enfrentei muitos problemas, até de perseguição pelas decisões tomadas e mesmo com toda oposição o que prevaleceu é a vontade de todos que confiaram no meu trabalho”, disse.

Leonardo Vargas (PTB) – 32 anos, Servidor público municipal – 642 votos. Foto: TSE
Leonardo Vargas (PTB) – 32 anos, Servidor público municipal – 642 votos. Foto: TSE

Foi eleito em 2012 e foi presidente da Comissão de Finanças e Orçamento em 2015. Atribui sua reeleição aos mais de R$ 800 mil em emendas parlamentares que conquistou. “Atribuo minha reeleição a essas conquistas que tivemos em nosso mandato e principalmente aos meus amigos por acreditarem em nosso trabalho”.

Rogério Azevedo (PTB) – 56 anos, advogado – 633 votos. Foto: TSE
Rogério Azevedo (PTB) – 56 anos, advogado – 633 votos. Foto: TSE

Foi vice-prefeito de José Luiz Rossignollo entre 1988 a 1992; secretário de Obras, Administração e consultor jurídico do município. Em 1992 concorreu a prefeito obtendo 11.962 votos. No Legislativo, chega a seu quarto mandato. “O mandato deve ser conduzido em defesa da população e não em defesa do governo. Sou vereador para representar a população e é isso que faço e acredito que por isso fui reeleito”.

Álvaro Gonçalves (PRB) – 48 anos, técnico contábil – 613 votos. Foto: TSE
Álvaro Gonçalves (PRB) – 48 anos, técnico contábil – 613 votos. Foto: TSE

Em 1995 candidatou-se a vereador pelo antigo Partido Liberal (PL). Pelo PRB candidatou-se outras duas vezes. Foi eleito em 2012 com 473 votos. “Intensifiquei meus trabalhos na área da saúde, defendo as pessoas com deficiência que já são mais de nove mil em Rosário. Sou evangélico e tive o apoio da classe. Pretendo seguir minha linha de atuação, lutando por quem realmente precisa”, projetou.

 

Renovação de ideias e luta em prol dos deficientes

Cristiano Rodrigues é o vereador mais jovem da próxima gestão, com 26 anos. Foto: TSE
Cristiano Rodrigues é o vereador mais jovem da próxima gestão, com 26 anos. Foto: TSE

Aos 26 anos, Cristiano Rodrigues chega ao Legislativo de Rosário do Sul com juventude e disposição para trabalhar, como ele mesmo disse em entrevista à Gazeta. Em sua estreia como candidato a vereador, ele foi o 4º mais bem votado, com 779 votos e confessa: “Não esperava tanto”.

Formado em Administração pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), tendo concluído o curso da Universidade Norte do Paraná (Unopar), Cristiano é filiado ao PP e concorreu coligado ao PMDB e ao PSC. Casado e membro de uma grande família, ele atribui sua expressiva votação ao apoio que recebeu dos parentes e amigos, além das pessoas que conquistou com um discurso de respeito e humildade.

Funcionário do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora (HCNSA) por quatro anos, passou pelo ramo dos supermercados e do comércio. Nesse meio tempo, trabalhou junto a Alisson Sampaio – candidato a prefeito pela coligação União Pela Mudança nesse pleito – em suas campanhas políticas. Neste ano, surgiu o convite para colocar o nome à disposição dos eleitores. “Pensei em desistir. Estava inseguro sobre o que viria pela frente, mas com apoio da família e dos amigos enfrentei e está aí o mérito”, disse. “Fui muito bem recebido onde estive e fico até sem palavras para agradecer essas pessoas que me ajudaram”.

 

Clamor por mudança

Cristiano atribui o fato de uma mudança de mais da metade do Legislativo ao clamor da população por ideias novas. “Estava na hora de entrar gente nova para fazer a diferença na nossa cidade. Acredito que essa juventude está entrando para somar. Renovação é a palavra”.

Como projeto principal de sua atuação, o agora vereador mais jovem de Rosário pretende defender a causa de pessoas com necessidades especiais. Ele próprio é um representante dessa parcela da população, que carece de mais atenção. Cristiano não possui metade do braço esquerdo, sabe das dificuldades enfrentadas por aqueles que têm alguma deficiência e pretende mudar essa realidade em Rosário.

Deixe uma resposta

Top