Você Está
Início > Notícias > Cidade > Área degradada da margem do rio Santa Maria receberá restauração

Área degradada da margem do rio Santa Maria receberá restauração

As margens do rio Santa Maria receberão um projeto piloto de restauração de áreas degradadas. A iniciativa faz parte de um projeto criado pelas professoras Carla Nascimento e Vera Lenz, da Escola Municipal Barão do Rio Branco, com recursos e apoio das empresas Granflor e Florestas do Sul. A plantação de mudas de árvores nativas deve ter início nos meses de maio ou junho.

Em entrevista com a professora Carla, ela conta que a ideia do projeto surgiu a partir de uma formação promovida pela empresa Granflor. O curso abordava temas sobre restauração de áreas degradadas e elas tiveram a ideia de restaurar parte da Praia das Areias Brancas. “Fizemos o projeto não esperando ter a repercussão que teve. Ano passado o Leandro entrou em contato conosco e disse que o nosso trabalho havia sido selecionado para entrar em prática”, conta a professora. Leandro Chisté Pinto é o biólogo da empresa Sustenta Consultoria Ambiental, que presta consultoria ambiental para as empresas Granflor e Florestas do Sul.

Leia mais notícias da editoria Cidade

No início o projeto tinha a ideia de convidar todas as escolas da rede municipal, sendo que cada uma ficaria responsável por parte da margem do rio a ser restaurada. No entanto, o biólogo e as professores perceberam que seria uma área muito grande para trabalhar com os alunos. Além disso, não haviam mudas das árvores nativas suficientes disponíveis na região. Foi então que o projeto expandiu e surgiu a ideia de criar um viveiro para cultivar as mudas e poder realizar o reflorestamento não só naquela área, mas também de outras porções do Pampa que estão degradas. Com o recurso do projeto foi feita uma reforma de um pavilhão desativado devido a um temporal, na Escola Agrícola de Rosário do Sul, e agora o local transformou-se em um viveiro laboratório para o projeto. “A ideia é tornar o viveiro uma referência para a região poder buscar plantas nativas aqui (…). Os alunos vão produzir mais mudas e vão levar para a escola agrícola”, explicou Carla. O viveiro já conta com 130 mudas, adquiridas pela Granflor.

“Os alunos vão passar isso para as gerações futuras, se a gente não cuidar do meio ambiente hoje, daqui a pouco não vamos ter mais árvores e rios”, disse a professora sobre a importância de realizar o projeto.

Em entrevista à Gazeta, Leandro contou que o bioma pampa se constitui por ecossistemas muito antigos e possui diversidade espetacular em fauna e flora. Por isso a preocupação em realizar formações que abordem a restauração de ambientes degradas do bioma pampa. “Entre vários projetos, esse foi o que nos saltou aos olhos por conta do Rio Santa Maria, que é bem importante, então fomos visitar o leito do rio e vimos que tem muitas áreas degradadas. Como as matas também servem para regular os recursos hídricos evitando ações de erosão que por sua vez acabam por destruir as barrancas e comprometem até a segurança das cidades, achamos que seria um bom exemplo de um primeiro passo”, explicou o biólogo sobre a escolha do projeto das professoras rosarienses.

Viveiro será cultivado pelos alunos das escolas municipais

Reportagem: Larissa Hummel / Gazeta de Rosário
Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

Top