Você Está
Início > Notícias > Membros do CPERS protestam contra reformas do governo federal na educação

Membros do CPERS protestam contra reformas do governo federal na educação

Representantes dos 42 Núcleos do CPERS Sindicato participaram, nesta sexta-feira (11), de um protesto em Florianópolis, Santa Catarina. O ato ocorreu em frente à Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). Os sindicalistas manifestaram contra a Audiência Pública do Ministério da Educação e Cultura (MEC) sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, que ocorreu na mesma data.

O ato teve participação de diversas entidades representantes da educação pública, entre elas Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (SINTE/SC). Os sindicatos ligados à educação da região Sul (SC, PR e RS) reuniram-se para protestar contra a reforma proposta na área. O diretor da entidade em Rosário do Sul, Paulo Conterato e a professora aposentada Vani Flores, representantes do 23º Núcleo do CPERS, estiveram presentes no ato.

Em entrevista à Gazeta, Conterato afirma que o momento é muito difícil e que o governo federal está forçando a reforma do Ensino Médio. “Ela vai acabar consideravelmente o saber de nossos alunos da escola pública. Não serão preparados para participar de um ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio) e ingressarem na universidade”, argumenta.

Segundo o CPERS, durante o ato, “os educadores denunciaram as práticas do governo de Michel Temer (PMDB) e sua forma de administrar o país, privilegiando os setores privados e empresariais que querem transformar a educação em mercadoria”. “Como discutir a educação pública sem educadores? As inscrições para a audiência abriram e fecharam rapidamente para evitar a presença dos educadores. São os empresários que irão discutir os rumos da educação pública?”, afirmou a diretora do Departamento dos Aposentados do CPERS, Glaci Weber.

A reforma está sendo debatida através do Conselho Nacional de Educação (CNE), em audiências públicas em todas as regiões do Brasil. A questão discute o texto da BNCC, apresentado em abril deste ano pelo MEC.

Foto: Arquivo Pessoal / Paulo Conterato

Deixe uma resposta

Top