Você Está
Início > Notícias > Cidade > Vida e obra de Oliveira Silveira podem integrar currículo escolar

Vida e obra de Oliveira Silveira podem integrar currículo escolar

Na última terça-feira (10), o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) apresentou o projeto “Oliveira da Silveira: o poeta da Consciência Negra” para equipes diretivas das escolas de Rosário do Sul. O encontro aconteceu no teatro João Pessoa. A iniciativa deve abranger educandários do município e de cidades da região.

Na ocasião, a proposta foi apresentada pela professora Flávia Amaral, uma das criadoras do projeto. O objetivo geral é a apresentação do poeta rosariense, para propor a discussão em sala de aula sobre a consciência negra ou a negritude nas obras de Silveira. A ideia é proporcionar palestras para divulgar a vida e a obra do escritor, e promover saraus literários. Outro propósito do projeto é produzir e distribuir, para instituições educativas, CDs com o trabalho artístico do ilustre rosariense, com o intuito de ressaltar a melodia e ritmo que existem nas poesias do autor.

Encontro reuniu equipes diretivas das escolas de Rosário do Sul no Teatro João Pessoa

Flávia explica que o público-alvo são os professores dos anos finais, ou seja, nono ano e ensino médio. “Muitos desses alunos saem da escola sem conhecer a cultura afro-indígena”, completa. A professora destaca, também, que o objetivo do encontro foi de conscientização e sensibilização dos educadores com a temática. “Não é um tema transversal, ele faz parte do conteúdo, deve estar inserido no plano de estudo. Não é só em novembro [em 20 de novembro comemora-se do Dia Nacional da Consciência Negra]”, enfatiza.

Leia mais notícias da editoria Cidade

Outra idealizadora do projeto é a professora Eloisa Elena Prates, autora de uma dissertação de mestrado sobre as poesias de Silveira, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Emocionada, ela expôs a importância do autor para a literatura brasileira, além da sua relevância para a instituição do 20 de novembro como o Dia Nacional da Consciência Negra. “Me sinto muito feliz por estar participando desse projeto e poder resgatar essa cultura afro-gaúcha e afro-brasileira” disse Eloisa, em entrevista à Gazeta.

Eloisa Prates é autora de dissertação de mestrado sobre Oliveira

A professora destaca, ainda, que os poemas do autor podem auxiliar no combate ao preconceito racial e podem ser trabalhados com alunos de todas as idades. “São poemas que vão fazer com que haja esse resgate dessa negritude, dessa consciência. Todos que sofrem preconceito ou já sofreram por causa da cor, vão se encontrar nesses poemas”, finaliza.

Iniciativa para resgatar a identidade e valorizar personalidades locais

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) é uma extensão universitária da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), do campus de São Gabriel. O professor Carlos Alberto Xavier Garcia é integrante do grupo e esteve presente no encontro. Em entrevista à Gazeta, ele ressaltou a importância do projeto. “Muitas pessoas desconhecem que ele [Olveira Silveira] é um dos autores do Dia Nacional da Consciência Negra, reconhecido nacionalmente. A iniciativa é importante para buscar a questão da identidade, da negritude, além da valorização dos artistas e personalidades locais” diz Xavier.

Carlos Alberto Xavier falou sobre a importância do projeto

A iniciativa conta com o apoio da 19° Coordenadoria Regional de Educação (CRE) que, na ocasião, foi representada pela professora Cintia Pinheiro. “Nos encantamos com o projeto, ficamos motivados e alegres. Ele busca resgatar e valorizar uma grande pessoa, natural de Rosário do Sul”, salientou Cintia.

O projeto está em fase inicial, que consiste na apresentação da proposta nas escolas dos municípios de Santana do Livramento e São Gabriel. Nos dias 30 e 31 de julho, o Neabi pretende oferecer uma formação sobre a temática aos professores do nono ano e do ensino médio. Além da 19° CRE e da Unipampa, o projeto tem o apoio das Secretarias de Educação de Rosário do Sul e de São Gabriel.

Cintia Pinheiro representou a 19° CRE, apoiadora do projeto

 

Rosariense dedicou-se à militância pela causa negra e à produção literária

Quem foi Oliveira Silveira

O rosariense fez história com sua atuação dentro do movimento negro e sua luta pelo reconhecimento das raízes afrodescendentes do Brasil. Ele faleceu em 2009, aos 68 anos, após uma vida inteira dedicada aos estudos e à luta contra a segregação e o racismo. Nascido no 6º Distrito de Rosário do Sul, no Touro Passo, ele galgou seu espaço apoiado em livros. Formado em Letras e Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), tornou-se professor na mesma instituição, além de dedicar-se à militância pela causa negra e à produção literária.

 

 

 

 

Reportagem: Larissa Hummel / Gazeta de Rosário
Fotos: Larissa Hummel / Gazeta de Rosário

Divulgação

Deixe uma resposta

Top