Você Está
Início > Notícias > Destaque > Legislativo rejeita Projeto que destinava R$ 15 mil à Escola de Samba

Legislativo rejeita Projeto que destinava R$ 15 mil à Escola de Samba

Foi rejeitado nesta segunda-feira (25), durante sessão extraordinária na Câmara de Vereadores de Rosário do Sul, o Projeto de Lei (PL) nº 4/2019. O documento versava sobre repassar R$ 15 mil, a título de subvenção social, à Escola de Samba Bambas da Orgia. A rejeição ocorreu por cinco votos a favor a quatro contrários.

Conforme o texto, a liberação da verba seria através de decreto expedido pela prefeita Zilase Rossignollo (PTB). Para isso, a entidade beneficiada seria obrigada a apresentar, no prazo de 30 dias, um relatório detalhado e prestação de contas da destinação das verbas recebidas. As despesas seriam oriundas da Secretaria Municipal de Desporto de Turismo (Sedetur).

“É evidente e decorre da necessidade de ser repassado recurso a Escolas de Samba que irá abrilhantar nosso Carnaval de Rua, sem os quais, por certo, não terão condições de fazê-lo, pela mesma forma cooperativa como sempre fizeram”, justifica o PL, que tramitou em regime de urgência. O documento ainda salienta que a Sociedade Recreativa Bambas da Orgia foi a única interessada em participar do evento.

Leia mais notícias da editoria Política

Durante a sessão extraordinária, houve um empate na votação. Os vereadores Glei Pacheco (PDT), Leonardo Vargas (PTB), Álvaro Gonçalves (PRB), Luis Guma (PTB) votaram favoráveis ao projeto. Já os parlamentares Jair Mendes (MDB), Gilson Alves (PDT), Rogério Ustra (MDB) e Cristiano Rodrigues (PP) votaram contra. Restou ao presidente do Legislativo, Elisandro Paz (PP) desempatar a votação, e ele votou contrário. “Há poucos dias a cidade passou por calamidade pública oriunda de uma chuva prejudicando famílias e estradas do interior (…). Não é o momento de liberarmos recursos públicos para o carnaval (…). Lembrando que o município vai dar estrutura, vai ter o Carnaval de Rua, só não vai ter recurso para escola de samba”, justificou Paz.

Já Mendes, um dos que se posicionou contra o PL, afirma que ano passado votou a favor do repasse às escolas de samba, porque a verba era oriunda da Lei Rolante. Esse ano, porém, seria proveniente do Executivo. “Sou favorável ao Carnaval de Rua. Entretanto, em razão do momento em que atravessa o município (…), eu não tenho alternativa a não ser votar contrário”, disse o parlamentar.

O vereador Gonçalves, por sua vez, que votou a favor do Projeto, justificou que esse ano o carnaval será especial para os Bambas da Orgia, devido ao falecimento do fundador da escola, Iedo Fontoura, que ocorreu no ano passado. “Por isso, eu vou votar a favor. Esses R$ 15 mil vão gerar empregos, como as costureiras da escola, comércio que precisa ser fomentando, inúmeras pessoas que estão aguardando isso”, declarou o edil.

Reportagem: Larissa Hummel / Gazeta de Rosário
Foto: Renato Moraes / Gazeta de Rosário

Deixe uma resposta

Top