Você Está
Início > Notícias > Destaque > Reuniões são realizadas para definir aplicação de recurso no hospital de Rosário do Sul

Reuniões são realizadas para definir aplicação de recurso no hospital de Rosário do Sul

Uma reunião foi realizada na última terça-feira (19) para tratar sobre a aplicação do valor de R$ 250 mil, que foi depositado na conta do município através de emenda do deputado federal Paulo Pimenta (PT/RS). O montante é oriundo do Ministério da Saúde, protocolado por Pimenta e articulado pelo deputado estadual Valdeci Oliveira (PT). A emenda foi uma solicitação do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Serviços de Saúde de Rosário do Sul (Sindisaúde), no intuito de que a verba seja destinada ao Hospital de Caridade Nossa Senhora Auxiliadora (HCNSA).

Em um primeiro momento, o assunto foi tratado com o presidente do Legislativo de Rosário, Elisandro Paz “Piruca” (PP), na Câmara de Vereadores. Estiveram presentes o presidente do PT no município e assessor do deputado Oliveira, Fernando Pigatto; os assessores do deputado Pimenta, Sidinei Cardoso e Delamar Jobim; o presidente do Sindisaúde, Márcio Santana; e o conselheiro fiscal do hospital, Leonardo Badinelli. O objetivo foi solicitar auxílio dos parlamentares quanto à aprovação de possível projeto para destinação do valor ao HCNSA.

Logo após, também na Câmara de Vereadores, os dirigentes do Sindisaúde e assessores dos deputados encontraram-se com representantes do Conselho Municipal de Saúde e entidades mantenedoras do hospital. O objetivo foi apresentar e debater uma proposta de aplicação do recurso.

A sugestão de utilizar o valor para efetuar o adiantamento do pagamento da metade do 13º salário dos funcionários foi aceita por unanimidade entre os presentes. Para isso, seriam usados cerca de R$ 190 mil do total. O restante do recurso seria utilizado para aquisição de equipamentos para a entidade. “A prefeita fez esse compromisso. No momento que caísse na conta, a gente resolveria sobre o dinheiro. Ficou acertado que esse dinheiro vem via município, mas tem que ir para o hospital”, afirmou o assessor Cardoso.

Jobim, Cardoso, Pigatto e Santana durante reunião com representantes das entidades mantenedoras do Hospital

A última reunião do dia foi realizada com a prefeita Zilase Rossignollo (PTB), em seu gabinete, e com o setor jurídico do Executivo. A proposta de utilização do recurso para o hospital foi apresentada pelos dirigentes do Sindisaúde e assessores dos deputados. “Destacamos que a nossa prioridade é que seja aplicado na categoria (…). Nós nos reunimos para ver essa viabilidade entre prefeitura e hospital. Seja como um novo convênio ou como um aditivo dentro desse atual contrato. Enfim, uma forma legal desse repasse ser realizado”, informou o presidente do Sindisaúde, Santana.

Em contato com o setor jurídico da Administração Municipal, foi informado à reportagem que a emenda é relativa à saúde básica do município e que o órgão não poderia confirmar se o valor será destinado ao hospital.

Saiba mais

Em setembro do ano passado, durante agenda em Rosário, Pimenta e Valdeci estiveram no HCNSA e anunciaram a destinação da emenda. Nesse mês de junho, o recurso foi depositado na conta da prefeitura, conforme informações do Fundo Nacional de Saúde. Em março, Valdeci e o assessor do deputado Pimenta, Cardoso, entregaram pessoalmente à prefeita o documento comprovatório do envio do recurso ao município. Santana, Pigatto e outras autoridades e lideranças acompanharam o ato.

A emenda não é destinada diretamente ao hospital devido a irregularidades fiscais, que impediriam que o dinheiro fosse utilizado. Por isso, o montante é cadastrado no CNPJ da prefeitura, para que a Administração Municipal aplique o recurso.

A destinação de verba para pagamento do 13º salário dos funcionários do hospital é luta recorrente do Sindisaúde. No ano passado, a entidade chegou a organizar abaixo-assinado para que o Poder Público repassasse a sobra do orçamento do Legislativo do município ao HCNSA, com este fim. A prefeitura, no entanto, declarou na época que o repasse dessa forma poderia implicar crime de responsabilidade, visto que o município estaria excedendo a despesa com pessoal estipulada pelo Tribunal de Contas do Estado.

Reportagem e fotos: Larissa Hummel / Gazeta de Rosário

Deixe uma resposta

Top