Você Está
Início > Notícias > Esporte > Rosariense realiza sonho e disputa a 93ª Corrida de São Silvestre

Rosariense realiza sonho e disputa a 93ª Corrida de São Silvestre

O corredor rosariense Richer Cardoso Oliveira “Neymar Júnior”, radicado em Teutônia, realizou um sonho de criança na manhã de 31 de dezembro do ano que se findou: competir na famosa corrida de São Silvestre, que completou 93 edições. O resultado foi o que pouco importou para ele, já que correu entre os melhores nos 15km da difícil prova paulistana. Entre 30 mil corredores, ele ficou entre os 200 melhores na classificação geral.

A prova foi dominada por quenianos e etiopenses. No feminino, a vitória foi de Flomena Cheyech, do Quênia, e no masculino de Dawitt Admasu, da Etiópia. Neymar, que é bicampeão do Circuito dos Vales, vencedor de várias provas no Rio Grande do Sul, vinha realizando até mesmo rifas, buscando apoio para competir em São Paulo e treinando muito. Ele já tinha participado da Maratona Internacional no Rio de Janeiro.

O rosariense completou a prova em 209º lugar, com o número 3422, da equipe Teutônia e Rosário do Sul. Ele finalizou o percurso com 59 minutos e 41 segundos, classificando-se entre os 15 melhores da sua categoria, de 20 a 24 anos. “Essa foi para mim a corrida mais difícil de todas que já corri, pelo fato de não ter largado na elite. Fiquei no ‘povão’, onde tudo é mais difícil. Tive que acordar bem cedo, pegar ônibus e metrô para ir para a Avenida Paulista, e lá esperar das 5h até a largada às 9h da manhã, em pé por 4 horas”, contou ele, em publicação feita nas redes sociais.

Richer Cardoso (à direita) foi fotografado junto ao ídolo Giovani dos Santos, durante treino no Ibirapuera. Foto: Gabriela Biló / Estadão / Divulgação

Dentro as dificuldades enfrentadas, Neymar também citou a falta de aquecimento e alimentação, além da lotação. “Foi loucura tudo, tive que ser guerreiro. (…) Ficamos todo o tempo na chuva, esperando a largada. Adrenalina pura, parti já com as pernas cansadas, mas com vontade e determinação, fui na raça”, relembrou. “O tempo e o resultado não foi o que eu queria, mas o que fica é o aprendizado”, completou. Neymar agradeceu seus patrocinadores, à família e aos amigos.

Além dele, anteriormente Rosário do Sul já havia sido representado na São Silvestre pelos corredores rosarienses Giltom Alexandre e Moisés Júnior Machado.

Reportagem: Julio Lemos / Gazeta de Rosário
Fotos: Arquivo Pessoal / Divulgação e Gabriela Biló / Estadão / Divulgação

Deixe uma resposta

Top