Você Está
Início > Notícias > Destaque > Vereador relata agressão na Câmara de Rosário do Sul

Vereador relata agressão na Câmara de Rosário do Sul

Uma discussão entre dois parlamentares terminou em agressão e lesão corporal na manhã desta segunda-feira (17), na Câmara de Vereadores de Rosário do Sul. O vereador Rogério Ustra (MDB) relata que foi ferido pelo líder do governo no Legislativo, vereador Leonardo Vargas “Nico” (PTB).

Ustra é presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura possíveis irregularidades na aquisição de peças para maquinário da Administração Municipal. Em contato com a Gazeta, ele contou que as discussões com o vereador Nico já vinham acontecendo devido às investigações. “Ele foi por várias vezes ao rádio me chamar de mentiroso e tudo que é acusação contra mim, na tentativa que eu parasse com isso. Já fui ameaçado de cassação lá dentro da Câmara, isso é comum”, afirma.

O vereador emedebista também cita um atrito devido à demissão de seu chefe de gabinete, ocorrida no início desse ano, quando Nico era vice-presidente da Casa. Ustra questiona o motivo do afastamento do servidor na justiça, que envolveria acusações graves.

Leia mais notícias da editoria Política

As agressões teriam acontecido na Sala de Comissões, onde, segundo Ustra, Nico teria chegado alterado e questionando os assuntos foco de investigações. “Daqui a pouco ele começou a me agredir, e eu me defendi. Em nenhum momento levantei minha mão contra ele. Disse que não iria me calar, que queria explicações de tudo que estão fazendo para mim”, relatou.

Conforme o vereador, ele recebeu vários socos e pontapés, e até que cadeiras foram arremessadas em sua direção. “Eles não conseguem combater os meus documentos, não conseguem explicar e querem guerra comigo. Não vou frouxar”, disse Ustra, com relação às investigações que está à frente.

Em contato com a Gazeta, o vereador Nico preferiu não se manifestar no momento. O presidente do Legislativo, vereador Cristiano Rodrigues (PP), que estaria presente no momento do ocorrido, também não comentou o caso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top