Você Está
Início > Notícias > Cidade > Município deve decretar situação de emergência por causa da enchente

Município deve decretar situação de emergência por causa da enchente

Os altos volumes de chuva que resultaram em enchente em Rosário do Sul fizeram com que pelo menos quatro famílias deixassem suas casas na Vila Carmelo. A Prefeitura Municipal deve decretar situação de emergência ainda nesta sexta-feira (11).

A prefeita Zilase Rossignollo Cunha (PTB) esteve reunida com Bombeiros, Defesa Civil, Secretaria de Obras e de Assistência Social, definindo o planejamento em caso de remoção rápida de possíveis desabrigados. “Fizemos todos os contatos necessários, inclusive com a EMATER para obtermos laudo quanto aos prejuízos na área de produção rural e assim termos mais subsídios para embasar o decreto”, informou a prefeita.

Na Vila Carmelo, até a manhã desta sexta-feira (11), quatro famílias precisaram ser removidas de suas casas com auxílio de militares do 4° RCC. Neste período, o Rio Santa Maria estava mais de seis metros acima do nível normal.

Móveis precisaram ser removidos de residências (Foto: Renato Moraes / Gazeta de Rosário)

No interior de Rosário do Sul, a chuva também causou muitos estragos. Dentre as áreas atingidas por alagamentos estão o Farrapo no 5º Distrito, Vila Temp no 2°º Distrito, Caverá e Touro Passo. Também existiam vários pontos sem energia elétrica como a região do Saicanzinho e Cruz de Pedra, bem como na Capela do Saicã, em Cacequi.

Somente na zona norte da cidade, em um pluviômetro particular, entre a madrugada de quarta-feira (9) e a manhã de quinta-feira (10), já somava 310 milímetros de chuva. Conforme o Corpo de Bombeiros, até a manhã de quinta, o nível do Rio Santa Maria estava pouco mais de cinco metros acima do nível. Para causar desabrigados, o rio precisa estar com ou acima de sete metros. Mesmo assim, pátios de imóveis no bairro Progresso já eram atingidos pela água do rio, que também cobriu parte da Praia das Areias Brancas.

Na região,a cidade de Alegrete decretou situação de emergência. De acordo com a rádio Minuano FM, até a manhã desta quinta, o rio Ibirapuitã estava 13 metros acima do nível normal e deixava 130 pessoas desabrigadas.A Polícia Rodoviária Federal (PRF)informou ainda que a água invadiu a pista no Km 578 da BR 290nos dois sentidos, o que permitia a passagem somente de veículos leves. Ao todo entre desabrigados e desalojados, Alegrete contabilizava 850 pessoas até esta sexta-feira. Na Fronteira Oeste, o número de pessoas que deixaram suas casas em função das cheias dos rios, já chega a 1.400.

Fotos: Renato Moraes / Gazeta de Rosário

Deixe uma resposta

Top